Ana Dyke marca 1

Ana Dyke aprova marca

O LAPP aprova mais um grande trabalho. A cliente da vez foi a Ana Dyke – Moda Íntima. A mesma procurou nos para auxiliá-la na criação do logotipo e após a criação da identidade visual da marca, criar peças como panfletos, cartões de visita, banners e arte para facebook. Ana Dyke está há dez anos no mercado, produzindo lingerie em geral, sem esquecer que o seu diferencial é que suas peças são confeccionadas por ela mesmo, oferecendo conforto para os seus clientes.

Atendimento: Isabella
Criação: Samuel e Bruna Maíra
Aprovação: Ana Paula
Coordenação: Flavio Alcântara

Veja o resultado dessa parceria!

Opção cartão 01

instagram-apresenta-nova-marca-e-aposta-no-minimalismo

O INSTAGRAM DE CARA NOVA!

maysouto.fwO INSTAGRAM, como todos ou quase todos já sabem, é uma rede social interativa onde você pode compartilhar fotos mostrando seu dia a dia ou pode ser até uma forma de divulgar

sua marca, seu trabalho através de fotos. Recentemente a rede social mudou um pouco sua marca, na verdade mudou radicalmente ,trocando suas cores simples com um ar de “vintage” para cores mais chamativas.

Veja a mudança abaixo:instagram-novo-logo

 

Eai? Aprovado? Dê sua opinião.

 

Radiohead (1)

Estratégia atípica deixa fãs ansiosos

Essa semana, os fãs do Radiohead foram pegos de surpresa numa campanha simples, mas que fez o mundo da música parar para ouvir seu novo single. Prestes a lançar seu novo disco e, após divulgar uma turnê mundial, ambos para 2016, a banda britânica apagou todo o conteúdo de suas redes. O “silêncio” que intrigou o público foi rompido após a divulgação do novo single com vídeo “Burn the Wich”, que resgata o lado orquestral da banda.

radiohead

O mistério começou assim que os britânicos enviaram a um grupo de fãs um panfleto com versos da, até então, desconhecida música:Sing a song sixpence that goes/Burn the witch/ We know where you live(cante uma canção de seis centavos/queime a bruxa/nós sabemos onde você vive).

radiohead2

 O Radiohead é uma banda britânica de rock alternativo liderada pelo vocalista e compositor Thom Yorke, formada em 1985 em Oxford (Inglaterra). Seu oitavo e último álbum foi o “The King of Limbs” lançado no início de 2011, ou seja, a banda passou um longo período longe dos estúdios e dos palcos.

Tal manobra de comunicação despertou a curiosidade dos fãs para o lançamento do próximo álbum, ainda não nomeado e sem data de estréia, no entanto, muito se especula que ele possa ser lançado a qualquer momento.

 

POR ANNY COSTA

 

 

blog Andressa

Os novos formadores de opinião e o posicionamento político na internet

 

Não é novidade que a situação política do Brasil não anda nada bem, em meio a escândalos de corrupção, operação lava-jato, protestos e impeachment os brasileiros se posicionam contra ou a favor do atual governo. Mais do que pauta para bate papo na mesa do bar e uma simples conversa  entre vizinhos, na internet o posicionamento político ganha grandes proporções. Diante da atual situação tecnológica que nos encontramos, a internet se tornou um verdadeiro palco de discussões que envolvem diversos assuntos e divide opiniões, é comum que as pessoas se expressem sobre tudo que está acontecendo e usem suas redes sociais como uma forma de expor sua opinião.

Quem é internauta assíduo já deve ter percebido que a internet criou verdadeiras celebridades. Cantores que surgiram no YouTube, famosos do Twitter e até pessoas que se sustentam compartilhando sua vida no Instagram. Essas pessoas que ganharam destaque na internet e que possuem verdadeiras legiões de fãs, são o que a geração das redes sociais chama de “formadores de opinião”.

Formadores de opinião por que? Simplesmente pelo fato de que cada palavra dita, ou foto postada alcança milhares de pessoas. As “celebridades da internet” ditam moda, criam jargões, influenciam comportamento e realmente causam impacto sobre opiniões sociais, econômicas e políticas. O que acontece quando, YouTubers, Blogueiras, Instagramers, se posicionam politicamente na internet? Causa alvoroço, e mais do que isso, essas pessoas difundem seu pensamento para muitas outras que não tiveram, talvez, o interesse de entender a fundo o que realmente acontece na política para formar sua própria opinião.

É fato que a política se tornou um assunto jovem e popular nas redes sociais, e isso tem seu lado bom, pois cria interesse e quem sabe até coloca na cabeça das pessoas o quanto a política é importante e interfere na vida em sociedade, mas apesar dessas vantagens, não é novidade que conhecimento vindo da internet muitas vezes é raso e sem fundamento, principalmente por atingir as pessoas em massa, de forma rápida e resumida.

Temos dois grandes exemplos de formadores de opinião engajados em assuntos políticos; o músico Tico Santa Cruz, que trata mais de política do que de música em suas redes sociais e se posicionou com a famosa frase replicada na internet: não vai ter Golpe! E a blogueira fashion, Giovanna Ferrarezzi, que abre espaço entre looks do dia e vídeos de maquiagem para falar sobre sua posição contra o governo PT.
No fim das contas, o importante como sempre, é ter bom senso. É bom falar sobre política na internet? SIM! Mas fica a reflexão, até que ponto você é influenciado politicamente pela opinião alheia?

Pesquise e se informe, quem sabe assim criando nosso próprio pensamento crítico podemos mudar aos poucos a situação do Brasil.

 

Por ANDRESSA MAIA