imagem 1

A essência do jovem na modernidade

imagem 3

Ser o que realmente você é nos tempos atuais, é algo de outro mundo. Hoje, as pessoas são movidas por aparências ao invés da sua essência. Os sentimentos estão se tornando algo escasso, diante de um mundo sanguinário, em que almas são apreciadas só nos funerais. A vivência é um elemento essencial para adquirir experiência em sua trajetória pelo planeta terra. Essas serão apanhadas através dos seus atos, sejam êxitos ou erros, essas ações farão adquirir conhecimentos sobre a vida. Dessa maneira, é visto uma sociedade mais amena e menos preocupada em mostrar seu verdadeiro EU, denotando suas convicções em fatos dissipados e tornando um mundo mais desconfiado e meramente ilustrativo perante os gestos executados.

O indivíduo se espelha no que a sociedade midiática transparece, no caso, beleza acentuada; padrões de corpo; ostentações; consumo exagerado etc. Com isso, muitos se mostram através do que o ciclo proporciona, conotando sua vida em meio caixas vazias, deixando sua alma transparente e só suas curvas em destaque, se enchendo de ego e se esvaziando de amor e essência. Já dizia Machado de Assis, “Por isso, preste atenção nos sinais, não deixe que as loucuras do dia-a-dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: o amor.” Dessa forma, mostra que o homem alimenta o seu ego com coisas imateriais.

 O ser humano precisa de um tempo em que possa entrar em contato com si mesmo e se encontrar espiritualmente, descobrindo e transbordando isso para as pessoas que as rodeiam. As pessoas precisam ser mais abertas aos seus sentimentos e emergi-los, viver intensamente com insanidade sã em busca da adrenalina e da felicidade. Assim, atingirá o seu EU abrindo novas vielas em seu mundo e transcendo o verdadeiro ser que habita em cada um de nós.

Por Darlene Silva

imagem 2