0001

Fake news no comércio

As Fake News (Notícias falsas) estão sendo um dos piores inimigos das empresas responsáveis por destruir suas reputações. A fim de compreender a dimensão do problema dentro do ambiente de trabalho, o estudo “Fake News: Desafios das Organizações”, da Associação Brasileira de Comunicação Empresarial (ABERJE) foi realizado entre 27 de fevereiro e 04 de abril de 2018, por meio de um questionário online com 52 empresas.

Segundo o questionário, 67% das organizações participantes não tem a fake news em seus planos estratégicos, porém 85% delas estão preocupadas com o problema, embora acreditam que eventuais riscos podem ser evitados ou suavizados. Também foi revelado que tanto as organizações (35%) quanto os seguimentos em que atuam (46%) já foram alvos de notícias falsas.

Os participantes entendem que os principais impactos relacionados à publicação e disseminação são: danos causados à reputação da marca (91%), danos causados à imagem da organização (77%), perdas econômicas financeiras (40%), danos à credibilidade da organização (40%), danos à imagem do setor (28%) e danos à reputação da liderança (13%).

Hamilton dos Santos, diretor geral da ABERJE afirma que “As fake news acompanham a indústria da comunicação desde os primórdios. A imprensa aprendeu a lidar com as notícias falsas, até de forma bastante tranquila, já que ela sempre contou com seus protocolos jornalísticos”. De acordo com o executivo por conta da guerra de narrativas, as notícias falsas ganharam mais destaque nos últimos anos e diz que “A produção de fake news retroalimenta o conflito de opiniões”.

A pesquisa revela que os principais canais de acesso a informação são: Jornais e revistas on-line (74%), jornais impressos (67%), revistas impressas (39%), agências de notícias (39%), mídias sociais (28%) e a televisão (22%). As empresas participantes acreditam que as mídias digitais são a maior fonte das fake news. Porém Ana Paula Tavares, CEO e fundadora da Aporama diz que as redes sociais também são importantes agentes para o combate e controle de conteúdo falso.

Realmente boatos vazados sobre empresas acabam gerando uma polêmica. O que acharam do assunto? Comentem suas opiniões!

Por: Victória Drumond