E-commerce cresce com bens não-duráveis

A 40ª edição do Webshoppers mostra um relatório sobre e-commerce (comércio eletrônico) elaborado pela Ebit|Nielsen apontando que o comércio eletrônico cresceu nos primeiros seis meses de 2019, impulsionado pelo aumento no volume de compra de produtos das categorias de Bens Não-Duráveis.

O relatório destaca que houve uma significativa expansão nos pedidos nos segmentos de alimentos e bebidas (82%) e petshop (144%) em relação ao ano anterior. São chamados de heavy users aqueles que compram de forma mais frequente do que a média, assim fazendo mais de 3 compras os últimos 6 meses. Segundo a Ebit|Nielsen, o Brasil é hoje o país da América Latina com maior faturamento nesse setor de e-commerce, pois 36% da população já é considerada como digital buyer.

Por mais que os alimentos e bebidas e petshop mostrou maior expansão em relação ao ano passado, o maior número de pedidos se concentrou nos seguimentos de perfumaria, cosméticos e saúde; e de moda e acessórios. Assim juntas, somaram 36% do total nos primeiros seis meses do ano, em relação ao mesmo período em 2018. De acordo com o relatório, 18,1% dos consumidores fizeram a sua primeira compra online no período analisado.

Ebit|Nielsen avaliou o desempenho no Brasil do m-commerce e assim como o e-commerce, as categorias de Bens Não-Duráveis também se destacou e é um dos principais responsáveis pelo grande aumento dos pedidos de m-commerce no primeiro semestre. A facilidade e agilidade em comprar por dispositivos móveis levaram a altas de 43% no faturamento e de 57% no volume de pedidos no primeiro semestre do ano em comparação ao mesmo período de 2018. Esse meio conta com 90% de satisfação dos usuários, de acordo com o estudo, além de ganhar relevância.

Outro ponto que a Ebit|Nielsen destacou foi que as redes sociais se tornaram o segundo maior motivador de compras pelo e-commerce, com 19% de indicações, perdendo apenas para os sites de busca que tiveram 25% das indicações. Dentre as redes sociais o Facebook ficou na liderança representando 53% das motivações, seguido pelo Instagram, com 32%; e WhatsApp com 2%. O índice de satisfação dos consumidores que compram motivados pelas redes sociais em relação ao preço é de 80%.

O que acharam da matéria? Deixem suas opiniões nos comentários!

Por: Victória Drumond

    • Parabéns pela matéria! e-Commerce esta crescendo muito, especialmente este ano. No ano de 2020 vai dobrar e assim posteriormente.

Deixe seu comentário